Wolfgang Novogratz concedeu uma nova entrevista ao site Joligazette, onde contou um pouco sobre sua vida e carreira, e como está sendo esse momento de ascensão em sua carreira como ator, confira abaixo:

Wolfgang Novogratz ganhou fama por sua aparição como Drew no filme original de 2018 da Netflix, Sierra Burgess Is a Loser. Ele apareceu anteriormente como Dave na comédia de ação Assassination Nation. Fez sua estréia como ator na série de TV 9 de Design em 2010. Ele estrelou em um episódio de 2018 da comédia de TV Grown-ish e foi escalado como o romântico protagonista Patch Cipriano no romance Hush, Hush em agosto de 2018 e oh Deus! Ele não te lembra do Elvis?! Eu me encontrei com Wolfgang em Los Angeles.

Você é o mais velho de uma família de sete irmãos. Como foi a sua infância?

Wolfgang: Com toda a honestidade, sinto-me o homem mais sortudo do mundo. Nunca houve um momento de tédio durante a infância, bom ou ruim, e meus irmãos são todos muito diferentes um do outro. Eu tenho um relacionamento distintamente único com cada um dos meus irmãos e irmãs. Como o mais velho dos irmãos, sempre me esforcei para ser um modelo e líder para eles, mas mais importante, alguém com quem eles achavam que podiam conversar sobre qualquer coisa, sem julgamento, e que eu sempre estaria lá para eles.

Como você começou como ator?

Wolfgang: Bem, é uma história interessante. Até onde eu lembro, o basquete sempre foi minha vida inteira. Eu estava me preparando para jogar em um time de basquete universitário da primeira divisão. Eu treinei como um atleta profissional e dediquei toda a minha vida ao esporte. No meu último ano do ensino médio, tive a sorte de ter muitas oportunidades de transformar meu sonho em realidade. No entanto, também no meu último ano, fiz aulas de teatro pela primeira vez. Eu sempre fui fascinado, inspirado e obcecado por filmes, mas nunca havia atuado antes. Lembro-me de visitar todas essas faculdades que eu tinha trabalhado toda a minha vida para entrar e pensar comigo mesmo: “Eu fiz isso”. Senti uma sensação de completude que provara a mim mesmo que poderia jogar no nível mais alto. Agora encontrei uma nova paixão e queria começar um novo capítulo da minha vida. Então, eu recusei todas essas oportunidades e disse ao meu professor de teatro: “Eu vou ser um ator, o que devo fazer?”. Ele disse: “Se você quer ser um bom ator, deve passar algum tempo fazendo teatro clássico em Londres ”. Então, uma semana depois de me formar no ensino médio, mudei-me para Londres para começar um novo capítulo na minha vida.

Você é o mais novo líder masculino da Netflix. Como você chegou lá?

Wolfgang: Haha, eu não sei nada sobre isso, mas eu apenas tentei aproveitar ao máximo as oportunidades que vieram em minha direção. Eu tenho atuado profissionalmente por cerca de 2 anos, e o que realmente ajudou minha carreira foi depois que fiz o meu primeiro filme “Sierra Burgess Is A Loser”, produzi e atuei em uma produção de “This Is Our Youth” de Kenneth Lonergan, em Los Angeles. Fazer essa jogada levou a mim e a meu agente conseguir muitas outras oportunidades. Mas estou nessa a longo prazo. Continuo a estudar de forma consistente. Meu foco é em como eu posso me tornar o ator mais honesto e habilidoso que eu posso ser, e se eu tiver sorte o suficiente, espero que um dia tenha um conjunto de trabalhos realizados que eu possa olhar para trás e ter orgulho.

Wolfgang Novogratz pelas lentes de Nathan Johnson. lentes de Wolfgang Novogratz na prmeiere de Nosso Último Verão.

Você pode compartilhar conosco sobre seus papéis na Netflix?

Wolfgang: Meu primeiro filme, “Sierra Burgess Is A Loser”, eu interpretei Drew.

Eu li primeiramente para o papel de Spence. Então, eles me trouxeram de volta para o papel principal de Jamie. Eu acabei chegando aos cinco atores finais lendo para os produtores e diretor. Eu estava fazendo uma peça em Orange County chamada “Vanya and Sonia and Masha and Spike” de Christopher Durang quando recebi o telefonema que eu não tinha conseguido a parte principal porque eu nunca tinha feito um filme antes, mas eles gostaram bastante de mim e queriam me ter no filme em uma papel menor.

Uma pequena curiosidade, é que, para a cena do futebol, onde Drew é o atacante que ataca Jamie, eu pedi a produção para usar o número 61, que era o número do meu avô quando ele era um All-American em West Point, na Academia Militar dos Estados Unidos.

Em “Nosso último verão”, eu interpretei o papel de Foster.

Quando eu li para o papel no início, Foster foi escrito como um “estúpido, bidimensional, raso, babaca” mais estereotipado. No entanto, eu fiz a escolha de que sua maior motivação para fazer essa lista de garotas e seu desespero por transar era que ele era virgem. Então, quando consegui o papel, compartilhei todas as minhas idéias com o diretor Bill Bindley, e começamos a trabalhar juntos para reescrever Foster. Eu trouxe a história de que ele costumava ser muito acima do peso, nunca recebeu atenção das meninas, e estava muito inseguro sobre isso. Então, para o último verão antes da faculdade, ele se reinventou. Ele está perdendo peso, ele está estudando boas cantadas e está fazendo o que for preciso para conseguir. A cena entre o personagem de Jacob, Alec, e eu, onde descobrimos que ele é virgem, foi escrita apenas alguns dias antes de filmarmos. Eu baseei muito do personagem em alguns caras que eu conheci na minha vida.

Em “The Half of It” eu interpreto o personagem Trig Carson.

Trig Carson é “O Cara” do campus. Ele é o cara mais popular da escola, o rei do baile, o presidente do Corpo Estudantil e amado por todos. No entanto, ele é bastante narcisista, superficial e vaidoso. Ele não é um cara mau, mas ele simplesmente não vive sua vida com muita profundidade, introspecção ou complexidade. Eu e a diretora, Alice Wu, falamos sobre ter certeza de que ele não seria como o personagem de Bradley Cooper em Penetras Bom de Bico. Ele não é o típico namorado malvado que o público diz: “Por que a garota principal está com ele e não com o personagem principal bom?” No papel, ele é perfeito: rico, bonito, simpático e feliz. O único problema é que ele não é o cara para Aster Flores. Ele está apaixonado pela ideia dela, mas ele não enxerga ela realmente ou compreende a plenitude dela.

Você sempre consegue o papel de adolescente. Como você administra isso?

Wolfgang: Bem, eu só me formei no ensino médio há três anos, então não é tão difícil ter essa idade novamente. No entanto, como um jovem ator que está apenas começando, essas são as maiores oportunidades. Não há uma tonelada de filmes e séries sendo feitos sobre crianças na faculdade ou jovens adultos apenas começando suas vidas.

Qual o papel dos seus sonhos?

Wolfgang: Em primeiro lugar, meu sonho é de ser um ator com muitos trabalhos, pois há muitos atores talentosos e merecedores que não possuem um. Se eu tiver sorte o suficiente de chegar nesse patamar e ter várias escolhas em minha carreira, meu sonho é de trabalhar com os melhores cineastas possíveis nos melhores roteiros possíveis, em filmes de qualquer gênero. Eu já havia dito, mas minha aspiração é de me tornar o protagonista que desejo ser e, com muita esperança, conseguir trabalhar com algumas das pessoas mais criativas e talentosas do mundo. Entretanto, ser o Super-Homem seria maravilhoso igual!

Há algum ator de Hollywood que te inspire?

Wolfgang: A lista é longa, mas por conta do tempo, vou tentar diminuir para 5. Eu diria: Spencer Tracy, Denzel Washington, Robert Redford, Paul Newman e Tom Cruise.

Uma curiosidade sobre Wolfgang que os fãs não saibam?

Wolfgang: Pouco antes de ser escalado para “Hush, Hush” eu tive a sorte de me conectar com Hugh Jackman. Ele tem sido um mentor, professor e amigo meu pelos últimos meses.

O que há em seguida para Wolfgang Novogratz?

Wolfgang: Estou terminando meu trabalho em “The Half of It” e então estarei preparado para o papel principal de Patch Cipriano na adaptação cinematográfica dos livros best-seller do The New York Times, “Hush, Hush”, junto com a Liana Liberato, que fará a protagonista Nora Grey.

Entrevista original: https://www.joliegazette.com/the-talk-4/wolfgangnovogratz
Fotográfia por: Nathan Johnson.